Páginas

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

IDADE DA MULHER AINDA É A PRINCIPAL CAUSA DA INFERTILIDADE ENTRE OS CASAIS....

Olá, meninas...mais uma matéria super interessante sobre fertilidade, espero que gostem...

bjus
Iracema

 

Idade da mulher ainda é a principal causa da infertilidade entre os casais



A preservação da fertilidade começa pelo prato.

Ao chegar à idade fértil, uma mulher possui apenas 300 mil óvulos capazes de serem fecundados

Quando se fala em fertilidade, o relógio biológico exerce um papel implacável. Quanto mais uma pessoa envelhece, maior a redução de sua capacidade de reprodução. Isso é ainda mais evidente no caso das mulheres que, por mais joviais que possam parecer atualmente, nascem com um número predeterminado de óvulos.

Ao chegar à idade fértil, uma mulher possui apenas 300 mil óvulos capazes de serem fecundados. Segundo esse processo contínuo e normal, após os 35 anos o número de óvulos terá diminuído. Assim, para evitar uma surpresa desagradável, elas precisam ser alertadas que o ideal seria engravidar até os 34 anos.

"Mulheres que adiam a gestação para priorizar a carreira e a estabilidade financeira buscam o seu primeiro filho em uma idade superior à ideal, ou seja, próximo aos 40 anos", afirma Arnaldo Cambiaghi, especialista em reprodução humana do IPGO (Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia).

O médico ressalta que, atualmente, a cada seis gestantes atendidas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, uma tem mais de 35 anos. Já no Laboratório Fleury, em São Paulo, 35% das gestantes têm mais de 35 anos e 15% mais de 40, segundo publicação na Revista "Fleury - Saúde em dia". No IPGO as mulheres maduras já representam até 60% dos casais que buscam ter seu primeiro filho.  

 Mario Cavagna, diretor da Divisão de Reprodução Humana do Hospital Pérola Byington, de São Paulo, é mais enfático: “A partir dos 38 ou 40 anos, a capacidade reprodutiva das mulheres cai drasticamente. Do ponto de vista biológico, e não social, o ideal é que a primeira gravidez ocorra até os 25 anos”.

Deste modo, a prática do congelamento de óvulos e espermatozoides, assim como as pesquisas com as células tronco, vêm se mostrando caminhos promissores para vencer os efeitos do tempo.  E, ao contrário do que muitos pensam, após congelados, eles não têm um prazo de validade.

A alimentação também influencia

Além de ficar atenta ao relógio biológico, uma alimentação balanceada, a prática moderada de exercícios e a prevenção de doenças que afetam os órgãos reprodutores, além de ter a sorte de uma boa herança genética, são fundamentais para realizar o sonho de ter filhos. 

A preservação da fertilidade começa pelo prato. “A dieta conhecida como mediterrânea, com alto consumo de ômega 3, encontrado em peixes de água fria como salmão e sardinha, além de nozes e ervilhas, por exemplo, contribui para isso”, afirma Cambiaghi.

“Já homens que comem muita carne ou consomem muito leite podem apresentar perda de fertilidade porque são afetados pelo alto nível de hormônios destes alimentos. O grande consumo de gordura também pode atrapalhar”, acrescenta o médico, que em breve lançará um livro sobre a influência da alimentação na fertilidade.

Drogas e doenças

A fertilidade de homens e mulheres também depende tanto da natureza quanto da qualidade de vida. O fumo, o álcool e as drogas são grandes vilões, bem como as doenças sexualmente transmissíveis (DST).

O hábito de fumar e o consumo de álcool e de drogas atingem tanto o sistema reprodutor masculino quanto feminino. Nos homens, alteram a concentração, o formato e a mobilidade dos espermatozoides, segundo Cambiaghi. Nas mulheres, afetam a qualidade dos óvulos.

Neste campo, a prática de exercícios físicos precisa ser moderada. A alta intensidade da prática esportiva interfere na ovulação e reduz a produção de espermatozoides. Porém, estes problemas são reversíveis.

Já as doenças que atingem o sistema reprodutor estão entre as principais causas da infertilidade, com destaque para a endometriose, presente em 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva no mundo. Originada pela presença do tecido uterino, o endométrio, fora do útero,  a patologia é um dos fatores mais importantes no impedimento da gravidez.

“Algumas mulheres com endometriose conseguem engravidar, mas, em geral, a doença compromete a qualidade do embrião e o ambiente do útero”, diz Cavagna.

As DST também são perigosas: chegam a responder por  25% das causas de infertilidade. Aqui, a prevenção é essencial, bem como o diagnóstico precoce e o tratamento adequado, segundo os especialistas.   

Entre os mitos mais populares sobre os inimigos da fertilidade estão o uso de notebooks no colo e de celulares no bolso ou na cintura. De acordo com Cavagna, não há estudos que comprovem estes danos. Porém, ele mesmo confessa que não tem esses hábitos. Prevenir é sempre melhor!

Fonte: Portal Tri - RS - ECONOMIA - 08/08/2012

2 comentários:

Maria Maia disse...

ola linda passando pra uma visitinhaaaaaaaa..... sorte pra nois bjusss

Leticya Souza disse...

oiii linda vim te convidar para participar de um sorteio em meu blog...um layout personalizado se quizer participar fique a vontade bjinhoss

http://leticiadiariodeumatentante.blogspot.com.br/2012/10/sorteio-no-blog.html

Postar um comentário