Páginas

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

CROSSMATCH......

Olá meninas!!!um dos exames que fiz foi o crossmatch e deu negativo, confesso que me deixou confusa, pq eu ja tive 2 filhas e como pode ter dado negativo?(para estar bom, tem que dar positivo)...O médico me explicou que o sangue do meu marido é mto parecido com o meu e que minhas filhas foram de outro casamento, marido diferente, sangue diferente.....E terei que tomar 3 doses de vacina ILP- vacina com leucócitos paternos, a famosa vacina do papai...
Andei pesquisando, mtos médicos são contra, outros a favor, dai pensei mal não fará, então pq não tentar?
Abaixo tem uma explicação sobre esse exame, que achei bem interessante da Clinica RDO, espero que gostem e entendam a explicação deles....

Mais uma coisa que descobri depois da minha 1 FIV, que não foi investigada....

Cross-Match

Acredita-se que o sistema imune materno possua mecanismos para reconhecimento da carga genética diferente de um feto, e com isso, consiga protegê-lo contra a destruição. Haveria, assim, a produção dos chamados anticorpos bloqueadores que protegeriam o embrião recém-implantado no útero. Este tipo de resposta recebe o nome de aloimunidade. Quando não existe grande variabilidade genética entre o homem e a mulher, mesmo que eles não sejam parentes, tais anticorpos não são produzidos, deixando o embrião susceptível ao ataque do sistema imune. Portanto, se existe certo grau de semelhança entre o HLA materno e paterno, tais anticorpos bloqueadores não serão produzidos. Sendo assim, o embrião tem maior chance de ser destruído pelo sistema imune da mãe e o quadro clínico em tais casos poderá ser reconhecido como abortamento de repetição.

Vacina com linfócitos paternos (ILP)
É para tais casos que costumamos indicar um tratamento imunológico baseado na utilização de vacinas produzidas com linfócitos presentes no sangue do pai, que são injetados no organismo da mãe com o intuito de estimular, por uma via diferente, a produção de anticorpos contra o HLA paterno, que poderão, assim, ter o efeito protetor numa gravidez subseqüente. Esta é a teoria que justifica o tratamento de imunização com linfócitos paternos (ILP) para casos de abortamentos de repetição de causa aloimune.

Exame de Cross-Match
A avaliação da presença de tais anticorpos é feita com um exame denominado Cross-Match, que pesquisa a existência de anticorpos contra linfócitos paternos no sangue da mãe. Existem diferentes métodos para a detecção desses anticorpos no soro materno, tais como a microlinfocitotoxicidade e a Citometria de Fluxo Quantitativa, sendo somente o último indicado para a avaliação na área de reprodução, principalmente por ser mais sensível e apresentar menos variância entre resultados da mesma amostra. Os resultados dos exames de Cross-Match são usados para indicar o tratamento e para monitorizar a resposta materna à aplicação das vacinas (ILP).
Após mais de 4 anos de estatística e experiência com nossas pacientes, concluímos que 3 aplicações de ILP com intervalos médios de 3 semanas são suficientes para sensibilizar a grande maioria das pacientes, e em torno de 30% dos casos necessitam de mais uma dose de reforço. Uma vez imunizada, a paciente permanece por volta de 6 meses sem a necessidade de novo tratamento, possibilitando assim durante esse período engravidar espontaneamente ou por métodos de fertilização caso seja necessário. 

É importante lembrar que todo casal deve passar por prévia consulta com médico especializado antes de qualquer tipo de tratamento. Só o médico é capaz de julgar a necessidade de exames complementares coadjuvantes bem como qual terapêutica será necessária para cada casal. 

1 comentários:

Treinante Futura Mamae disse...

Ola... li que vc fez o exame Cross Match e aiii vc conseguiu ter seu baby???
Estou nesta luta tambem, mas nunca tive filhos, ja fiz uma FIV mas infelizmente nao deu certo. Estou pesquisando sobre Cross Match.
Tenho um blog http://treinantefuturamamae.blogspot.com.br/2015/03/pesquisando-muito-sobre-cross-matchdoce.html

De uma olhadinha la... bjaooo

Postar um comentário